Olho Eletrônico desenvolvido pela UFG emite Alerta de Segurança para Cegos

Pesquisadores da Universidade Federal de Goiás desenvolveram o aplicativo Deep Vision – Olho Eletrônico – um sistema operado por comandos dos voz( “Veja” ou “O que tem Aqui” ?) que aciona uma câmera, fotografa e descreve o lugar onde está o usuário.

Otávio Calaça, um dos pesquisadores, afirma que o aplicativo funciona a partir de quatro redes neurais com cerca de 400 milhões de parâmetros. “A primeira rede reconhece a voz da pessoa e aciona a câmera para a captura da foto eletrônica”, conclui.

A segunda rede, de acordo com o pesquisador, captura a imagem, e ativa a terceira rede para vincular os detalhes aos registrados em uma espécie de texto. “Por fim, a última rede neural é acionada para o processamento de voz, gerando áudio em inglês e português, para descrever o meio em que está a pessoa”, conclui.

Além de melhorar a vida doméstica, no trânsito o aplicativo poderá funcionar como um recurso a mais para a acessibilidade, já que capta objetos em movimento e obstáculos.”Isso permite que o cego se localize com mais segurança e autonomia, sem precisar da ajuda de outra pessoa”, afirma Anderson Soares também pesquisador.

O aplicativo só estará disponível para download no final de 2017 e depende de conexão com a internet. Porém, até 2019, deverá ser criado um óculos eletrônico com as mesmas características, sem necessidade de banda larga.

Mais informações sobre o aplicativo podem ser obtidas no site deeplearning.inf.ufg.br/index.php/deepvision

Fonte: ASCOM – UFG

Deixe uma resposta